Boletim via e-mail

Levamos a sério as normas da antispam.br e garantimos que o seu e-mail será utilizado exclusivamente para as mensagens deste site.

Mensagem do pároco › 18/09/2018

Viva o nosso padroeiro!

Para a festa de São Francisco 2018, escolhemos por tema: “Fraternidade Universal: Em Cristo Somos Todos Irmãos”, inspirado na Campanha da Fraternidade 2018: “Vós Sois Todos Irmãos” (Mt 23,8). Esta Campanha lembrava que a violência desfigura a fraternidade sonhada no início pelo Criador. Deus criou e viu que tudo era bom (cf. Gn 1,31), mas o ser humano, pelo desejo de cobiça, inveja e ciúme, desfigurou o projeto de Deus, porque deu espaço para o cultivo não mais da fraternidade, mas da rivalidade, do domínio sobre o outro, ao ponto que o livro do Gênesis conta que um irmão matou o outro (cf. Gn 4,8).

Olhamos São Francisco como o santo reconciliado. Seu coração é agradecido; tudo e todas as ocasiões tornam-se uma espécie de louvor ao Criador. Há um transbordamento de gratidão, alegria e sereno contentamento.  No intitulado “Cântico das criaturas”, Francisco louva as criaturas: “Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas, especialmente o senhor irmão sol, o qual é dia, e por ele nos iluminas. E ele é belo e radiante com grande esplendor, de ti, Altíssimo, traz o significado”.

O cântico segue envolvendo numa espécie de “hino sideral” os demais astros, as nuvens, estrelas e elementos da terra. Mais adiante ele canta: “Louvado sejas, meu Senhor, por aqueles que perdoam pelo teu amor, e suportam enfermidades e tribulação. Bem-aventurados aqueles que as suportarem em paz porque por ti, Altíssimo, serão coroados”. A fraternidade é construída quando se sabe dar uma passo em direção ao diferente.

O Cântico das criaturas, como alguém já o disse, é o “cântico da integração”, porque trata de um louvor e paz existente entre elementos distintos, porém, não adversos, mas que na dança da vida, se complementam, unindo-se e mantendo-se distintos simultaneamente. A dança de todos os elementos só é possível porque todos tem seu ritmo, sua identidade.

Vamos olhar para São Francisco como esse irmão universal que lembra a todos a necessidade de não desanimarmos de sonhar e construir um mundo onde caibam todos os mundos com suas diferenças. Só evoluímos enquanto pessoas se aprendemos, mesmo que a custa de dor e lágrimas, a integrar o adverso, transformando-o de inimigo mortal, em conviva da existência.

Desejamos a todos uma ótima festa de São Francisco. São Francisco, tão querido e conhecido como o Santo dos animaizinhos, é o santo da paz, o que nos desafia ao perdão e o cuidado pleno para com todo o tipo de vida, a começar pela vida humana, por vezes ameaçada!

Frei Valdecir Schwambach, ofm