Paróquia São Francisco de Assis

Rua Borges Lagoa, 1209 - Vila Clementino - São Paulo - SP

(11) 5576-7960

paroquiavila@franciscanos.org.br

Notícias › 05/10/2013

Festa de São Francisco em nossa paróquia

100_7466_

Neste último dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, o padroeiro de nossa paróquia foi mais uma vez lembrado com uma grande festa.

Nem a chuva nem o frio do começo da manhã conseguiram espantar os paroquianos e devotos que, desde às 7h, já estavam na igreja para receber a bênção dada pelos frades e participar de uma das 11 missas celebradas neste dia, levando também seus animaizinhos para serem abençoados.

As cerca de 7 mil pessoas que passaram pela paróquia no dia de São Francisco, além de participar das missas, puderam comprar o tradicional bolo de São Francisco e os pães de mel recheados, bem como levar para seu caõzinho, gato ou passarinho, saquinhos de ração que eram abençoados desde a primeira missa do dia, às 7h, presidida por Frei Fidêncio Vamboemmel.

100_7471_

Às 12h, a “Missa Ecológica” foi presidida por Frei Gustavo Medella que, em sua homilia, fez o convite para que todos saiam de seus “claustros”, como fez São Francisco de Assis, para quem o claustro era o mundo. Frei Gustavo explicou que, na Idade Média, a vida religiosa se dava no claustro, um lugar fechado: “havia a concepção de que a pessoa precisava se isolar do mundo porque o mundo não era bom e só a realidade espiritual era boa”. Explicou ainda que todo lugar é lugar de amar e servir a Deus e viver religiosamente. “É este o espírito e a lição que São Francisco de Assis quer nos ensinar no dia de hoje. Ele abre a perspectiva e mostra que todo o bem da criação, tudo, fala do amor de Deus e, por isso, quer ser o Irmão Universal”.

Frei Gustavo apontou que hoje, infelizmente, toda a sociedade é influenciada por essa mentalidade, com a tendência de fazer o movimento inverso de São Francisco, buscando não simplesmente se fechar “fora” do mundo, mas sim levar o “claustro” para o mundo, e exemplificou: “A Av. 23 de Maio está cheia de claustros neste momento. Todos sobre quatro rodas, onde cada pessoa isoladamente tem a sua temperatura ambiente escolhida, o ar condicionado, escuta a música do seu gosto e pensa nos seus próprios problemas. Nos ônibus, cada um leva o seu claustro, que vem acoplado no ouvido e não quer saber quem está do lado. Só se vive nessa perspectiva enclausurada”. E 100_7415finalizou, lembrando que é preciso aprender com São Francisco de Assis a ter e a cultivar a cultura do encontro: “Que nossa Igreja não seja uma Igreja enclausurada em si mesma. Que ela saia de si como pede o Papa Francisco e que tenhamos olhos para olhar uns nos olhos dos outros, sem medo, não pensando que o outro é um estranho, mas que é um irmão”.

Às 13h o pároco, Frei Djalmo, abençoou o bolo especialmente feito para os cães, quando todos os presentes cantaram parabéns e deram vivas a São Francisco. A seguir, o bolo foi cortado e distribuído para os donos dos bichinhos. Algumas pessoas levaram um pedaço do bolo para dar ao seu cãozinho em casa, mas os cachorrinhos que estavam na igreja não resistiram e comeram, sem nenhuma demora, o pedaço do bolo que seus donos receberam.

IMG_2345_

Durante todo o dia, milhares de pessoas passaram pela festa de São Francisco em nossa paróquia, que se tornou um referencial em São Paulo para esta data. Neste ano, além da presença dos frades da fraternidade local, participaram das bênçãos e missas, frades provenientes das outras fraternidades franciscanas de São Paulo e do Paraná: Frei Adriano Freixo (Santo Antônio do Pari), Frei Gustavo Medella (Largo São Francisco), Frei José Francisco (SEFRAS) e Frei Jorge Lázaro (Rondinha-PR).

Às 20h foi celebrada a segunda e última “Missa Ecológica” do dia, presidida por nosso pároco, Frei Djalmo, com a igreja lotada de fiéis, paroquianos e devotos de São Francisco, bem como seus animais de estimação que, em meio aos latidos, também louvavam o Criador a seu modo,  encerrando-se assim mais uma edição desta grande Festa de São Francisco.

X