Paróquia São Francisco de Assis

Rua Borges Lagoa, 1209 - Vila Clementino - São Paulo - SP

(11) 5576-7960

paroquiavila@franciscanos.org.br

São José de Anchieta

capa_facebook_001-01

 O bem-aventurado Padre José de Anchieta será proclamado santo por meio de decreto a ser assinado pelo Papa Francisco, no dia 03 de abril de 2014.

O religioso Jesuíta da Companhia de Jesus, Padre José de Anchieta, com o então provincial do Brasil, padre Manoel da Nóbrega, e outros religiosos jesuítas, fundaram em 25 de janeiro de 1554, no planalto de Piratininga, o Colégio de São Paulo de Piratininga. Nascia, no ponto mais avançado do planalto, sobre uma colina situada no encontro dos rios Anhangabaú e Tamanduateí, a cidade de São Paulo, a maior da América do Sul.

Anchieta desenvolveu uma intensa ação evangelizadora não só em São Paulo, mas também em outros estados brasileiros, como Espírito Santo, Bahia e Rio de Janeiro.

A Igreja de São Paulo está em festa pela canonização de José de Anchieta e acolhe com manifestações de júbilo e Ação de Graças a Deus.

No dia 2, às 14h, todas as igrejas e capelas da Arquidiocese tocarão os sinos, na mesma hora, por 5 minutos ao menos. Também haverá, no mesmo dia 2, celebrações espontâneas de louvor e agradecimento a Deus.

No domingo, 6/4, às 11h, na Catedral da Sé, haverá a Missa em ação de graças pela canonização de Anchieta. Autoridades do Município e do Estado foram convidados. A Missa será precedida de uma procissão, saindo do Páteo do Colégio às 10h15 na direção da Catedral. A celebração será transmitida ao vivo pela TV Cultura e retransmitida, por meio de pool, por emissoras católicas, como a Canção Nova, Rede Vida, TV Aparecida e Rede Século 21, as que, até o momento, confirmaram.

O Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, reitera a importância de Anchieta na evangelização de São Paulo e no Brasil. “Esta canonização, há muito esperada por nós, é motivo de especial alegria para todo o Brasil, uma vez que Anchieta é o ‘Apóstolo do Brasil’, assim proclamado já no seu funeral, em 1597. Ele marcou profundamente o início da evangelização, não apenas em São Paulo, mas em boa parte do Brasil. No centro histórico da capital paulista, o Páteo do Colégio lembra que Anchieta foi um dos fundadores desta cidade e também um dos iniciadores da Igreja nesta metrópole”.

“Deus nos oferece uma ocasião singular para o testemunho eloquente do Evangelho do Reino e da ação amorosa de Deus junto de seu povo na cidade. Ao mesmo tempo, a Providência nos convida a renovar-nos na dimensão missionária e da caridade pastoral, olhando para São José de Anchieta”, concluiu Dom Odilo.

 

São José de Anchieta (breve histórico)

Nascido na cidade de São Cristóvão da Laguna, na ilha de Tenerife, do arquipélago das Canárias, Espanha, no dia 19 de março de 1534, Anchieta era um jovem inteligente, alegre, estimado e querido por todos.  Exímio escritor, sempre se confessou influenciado pelos escritos de são Francisco Xavier. Amava a poesia e mais ainda, gostava de declamar. Por causa da voz doce e melodiosa, era chamado pelos companheiros de “canarinho”.

Também tinha forte inclinação para a solidão. Tinha o hábito de recolher-se na sua cela ou de retirar-se para um local ermo a fim de dedicar-se à oração e à contemplação. Certa vez, isolou-se na catedral de Coimbra e, quando rezava no altar de Nossa Senhora, compreendeu a missão que o aguardava. Naquele mesmo instante, sentiu o chamado para dedicar sua vida ao serviço de Deus. Tinha dezessete anos e fez o voto de consagrar-se à Virgem Maria.

Ingressou na Companhia de Jesus e, quando se tornou jesuíta, seguiu para o Brasil, em 1553, como missionário. Chegou na Bahia junto com mais seis jesuítas, todos doentes, inclusive ele, que nunca mais se recuperou. Em 1554, chegou à capitania de São Vicente, onde, junto com o provincial do Brasil, padre Manoel da Nóbrega, fundou, no planalto de Piratininga, aquela que seria a cidade de São Paulo, a maior da América do Sul. No local foi instalado um colégio e seu trabalho missionário começou.

Com a morte do padre Manoel da Nóbrega em 1567, o cargo de provincial do Brasil passou a ser ocupado pelo padre José de Anchieta. Neste posto mais alto da Companhia de Jesus, viajou por todo o país orientando os trabalhos missionários.

José de Anchieta morreu no dia 9 de junho de 1597, na pequena vila de Reritiba, atual cidade de Anchieta, no Espírito Santo, sendo reconhecido como o “Apóstolo do Brasil”. Foi beatificado pelo papa João Paulo II em 1980. A festa litúrgica foi instituída no dia de sua morte.

Acompanhe a programação da Arquidiocese pela canonização de José de Anchieta

Fonte: Arquidiocese de São Paulo

X